O perfume

 “… Glória se levantou, ela e o vestido se arrastaram mutuamente para o quarto. Incrédula e sonambulenta, arrastou o pente pelo cabelo. Em vão. O desleixo se antecipara fazendo definitivas tranças. Lembrou as palavras de sua mãe: mulher preta livre é a que sabe o que fazer com o seu próprio cabelo. Mas eu, mãe, primeiro, sou mulata. Segundo, nunca soube o que é isso de liberdade. E riu-se: livre? Era palavra que parecia de outra língua….Abriu a gaveta, venceu a emperrada madeira. E segurou o frasco de perfume, antigo, ainda embalado. Estava leve, o líquido já havia evaporado. Justino lhe havia dado o frasco, em inauguração de namoro, ainda ela meninava. Em toda a vida, aquele fora o único presente. Só agora se somava o vestido. Espremeu o vidro do cheiro, a ordenhar as últimas gotas. Perfumei o quê com isto, se perguntou, lançado o frasco no vazio da janela. Nem sei o gosto de um cheiro.”…

“…E ficou a ver Justino se afastando entre a fumarada do salão, tudo se comportando longe. Vezes sem conta ela vira esse afastamento, o marido anonimado entre as neblinas dos comboios….No limiar da porta, Justino ainda virou o rosto e demorou nela um último olhar. Com surpresa, ele viu a inédita lágrima, cintilando na face que ela ocultava. A lágrima é água e só a água lava tristeza. Justino sentiu o tropeço no peito, cinza virando brasa em seu coração. E fechou a noite, a porta decepando aquela breve desordem.’

Mia Couto – Estórias Abensonhadas

Agora me digam, como é que alguém consegue escrever uma prosa assim, que fica parecendo poesia?

Anúncios

, ,

  1. #1 by Lili on 25/01/2011 - 19:04

    Eu também gostaria de saber…

  2. #3 by Cristina on 26/01/2011 - 13:15

    Muito bonita e estória. Fiquei surpresa quando pesquisei e vi que Mia Couto é homem ( a estória parecia ser escrita por uma mulher).

    • #4 by ramoscheiosdeamora on 26/01/2011 - 14:18

      O livro é de contos e são todos lindos, Cris, vale a pena.
      Ele faz um jogo fantástico com as palavras…
      Bjs,
      Ana

  3. #5 by pedro on 26/01/2011 - 13:21

    Deve ser o perfume do Índico, o que torna aquele Português tão belo…
    Belo post, magnífica escolha…

  4. #7 by Monica on 26/01/2011 - 21:48

    Pergunta: “como é que alguém consegue escrever uma prosa assim, que fica parecendo poesia?”

    Resposta: sendo Mia Couto…
    😉
    bjk

  5. #9 by Helena Costa on 01/02/2011 - 0:01

    Realmente impressionante. E como pode um homem branco acertar tanto ao escrever “mulher preta livre é a que sabe o que fazer com o seu próprio cabelo”?
    Ainda estou conhecendo o gajo, mas já me pego encantada com Mia Couto.

    • #10 by ramoscheiosdeamora on 01/02/2011 - 9:39

      Vi o mesmo sentido da frase no livro ‘Purple Hibiscus’ de Chimamanda Adichie, uma nigeriana. Mesmo sendo um branco, ele parece conseguir captar a essência da coisa…
      Benvinda ao blog!
      Bjs,
      Ana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: